Acupuntura e dor de cabeça

A dor de cabeça, ou cefaléia, é um transtorno que acomete grande parte da população mundial.

Para se ter uma ideia dos números, a dor de cabeça do tipo tensional (gerada pelo excesso de contração dos músculos) causa sofrimento entre 65 a 87% da população, começando entre os 20 e 50 anos, atacando mais mulheres que homens.
A cefaléia é entendida como a sensação dolorosa sobre a cabeça, o pescoço e/ou ainda sobre a face. Existem muitos tipos de dores de cabeça (mais de 150). Podemos dividir as cefaléias em dois grupos:

  • Cefaléias primárias – geradas por alterações da química cerebral.
  • Cefaléias secundárias – causadas por patologias (exemplo: tumores, auneurisma, doença nos olhos, ouvidos, garganta, etc.).

São vários os possíveis geradores das dores de cabeça (além das patologias cerebrais), como, por exemplo: estresse, cansaço, menstruação (TPM), alimentos, álcool, alterações climáticas, excesso de luz, cheiros fortes, remédios inadequados, etc.
Ao sentir dor de cabeça, antes de mais nada, procure ajuda de um profissional da saúde que seja especialista no funcionamento cerebral e faça todos os exames necessários.
Se não for encontrada nenhuma alteração estrutural (patológica) e, mesmo assim, a dor de cabeça continuar, talvez seja momento oportuno de tentar outros recursos, como por exemplo: mudar alguns hábitos de vida, praticar Yoga, natação, alongamento, fazer Psicoterapia, Acupuntura, etc.
A Acupuntura é uma terapêutica que existe há mais de 5 mil anos. É utilizada por alguns profissionais da saúde (fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos, etc.). Ela busca a promoção da saúde e bem-estar através da inserção de finíssimas agulhas especiais (de ouro, prata ou aço inoxidável) em determinadas regiões do corpo chamadas de “acupontos”. Também existem tratamentos sem agulha (calor, sementes, pressão). A Acupuntura é uma excelente estratégia preventiva para inúmeras alterações, além de ser uma terapêutica rápida e eficaz. Essa prática promove o equilíbrio físico, mental e energético.
Conforme a lista de pesquisas científicas reunidas e divulgadas pela “Organização Mundial da Saúde” (OMS), publicada no documento “Acupuncture: Review and analysis of reports on controlled clinical trials”, a Acupuntura é eficaz para tratar várias desordens, entre elas destaco as “afecções da cabeça”.
AFECÇÕES DA CABEÇA:

Dor de cabeça Acupuntura: alívio imediato em 66% dos casos.Eletro-acupuntura: alívio imediato em 80% dos casos. Diminuição da freqüência em 50% dos casos. Alteração significativa no exame de eletromiografia.
Dor crânio-mandibular Acupuntura tradicional: eficácia similar ao tratamento convencional (imobilização). Acupuntura intradermica: eficácia em 60% dos casos.
Disfunção da articulação temporo-mandibular (ATM) Eficácia similar ao tratamento convencional.
Espasmo facial Eficácia em 70% dos casos

Assim, conforme a “Organização Mundial da Saúde”, podemos dizer que a Acupuntura é um excelente recurso terapêutico (não medicamentoso) para o tratamento da dor de cabeça, com resultados que variam de 50 a 80% de eficácia.
Ao sentir dores de cabeça procure ajuda de um profissional da saúde. Faça os exames solicitados e não se medique sem a correta orientação.
Lembre, a dor de cabeça pode ser tratada de várias formas, inclusive (em alguns casos) sem o uso de remédios.
(mais…)

Acupuntura: tratamento rápido e eficaz

A Acupuntura é uma prática terapêutica que existe há mais de 5 mil anos e que busca a promoção da saúde e bem-estar do paciente através da inserção  de finíssimas agulhas especiais (esterilizadas, descartáveis, de uso único) em determinadas regiões do corpo (sem usar remédios). É uma excelente estratégia preventiva para inúmeras patologias, além de ser uma terapêutica rápida e eficaz no tratamento de doenças (psicológicas, biológicas, comportamentais). Essa prática busca o equilíbrio físico, mental e energético do paciente.
A eficácia da Acupuntura é reconhecida pelo Ministério da Saúde do Brasil (Portaria 971/2006), pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelos Conselhos Federais de Fisioterapia (Resolução 060/85), Biomedicina (Resolução 002/86), Enfermagem (Resolução 197/97), Farmácia (Resolução 353/00) Terapia Ocupacional (Resolução 221/01), Fonoaudiologia (Resolução 272/01), Psicologia (Resolução 005/02), Educação Física (Resolução 069/03), entre outros.
Nessa terapêutica há também a utilização de estímulos não invasivos (sem agulhas), como por exemplo: uso de eletricidade, laser, calor, pressão, massagem, ímã, semente, esparadrapo. Esses métodos estão ganhando gradualmente mais espaço nessa atividade terapêutica.
Conforme a “Organização Mundial da Saúde” a Acupuntura é eficácia para tratar várias patologias, entre elas destaco:
• Álcool – Diminui a necessidade de ingerir álcool.
• Ansiedade – Eficácia superior à medicação convencional, mas sem efeitos colaterais.
• Asma – Efeito antiasmático em 93% dos casos e maior ventilação pulmonar em 68%.
• AVC (seqüela): dificuldade de articular palavras. Eficácia em 90% dos casos.
• Cirurgia cerebral – Cura dos sintomas pós-operatórios em 86% dos casos.
• Cocaína – Diminuição dos sintomas da abstinência em 44% dos casos.
• Cólon irritado – Melhora significativa em 93% dos casos.
• Convalência – Efeito analgésico superior e mais rápido que a medicação convencional no pós-operatório.
• Depressão – Eficácia similar à medicação convencional, mas sem efeitos colaterais.
• Desintoxicação de álcool – Redução do álcool no sangue.
• Desintoxicação de tabaco – Redução da concentração de nicotina.
• Dor de cabeça – Alívio imediato em 80% dos casos.
• Dor menstrual – Melhora em 91% dos casos.
• Ejaculação precoce – Eficácia em 83% dos casos.
• Enxaqueca – Eficácia em 80% dos casos.
• Esquizofrenia – Eficácia superior à da medicação convencional (78% dos casos).
• Heroína – Diminuição dos sintomas da abstinência (anorexia, suor espontâneo e insônia) e redução da freqüência do uso de heroína.
• Hiperacidez no estômago – Eficácia em 95% dos casos.
• Hipertensão – Eficácia similar à medicação convencional, mas sem efeitos colaterais.
• Hipotensão – A pressão foi normalizada em 95% dos casos.
• Impotência sexual (não orgânica) – Eficácia em 60% dos casos.
• Insônia – O sono foi totalmente normalizado em 98% dos casos.
• Obesidade – Supressão do apetite em 95% dos casos.
• Policisto no ovário – Cura obtida em 94% dos casos.
• Reações adversas ao tratamento de radioterapia e/ou quimioterapia – Náuseas, vômitos e falta de apetite foram eliminadas em 93% dos casos.
• Retardo mental – Aumento de 21% no QI e de 18% na adaptação social.
• Síndrome do estresse competitivo – Eficácia em 93% dos casos
• Tabaco – Diminuição da vontade de fumar em 13% dos casos. Redução no hábito de fumar em 20% dos casos. Redução no prazer de fumar em 70% dos casos.
• TPM – Alívio completo dos sintomas, sem recorrência por 6 meses, em 92% dos casos.
Mas tudo isso (grande grau de eficácia da Acupuntura) não é o tipo de “mídia” que interessa às grandes corporações da área da saúde (ex.: indústrias farmacêutica)… por isso, esses dados não são divulgados nos grandes meios de comunicação… a ignorância do povo gera lucro (para alguns).
(mais…)